Arquivos do articulista: Indicações Culturateca

Racionando a razão

Por C. S. Lewis

Nada há de irracional em exercer outras competências além da razão.

O indivíduo que tenta domar um cavalo, redigir um poema ou gerar um filho por meros silogismos é irracional.

Sociedade justa

Por Olavo de Carvalho

Os atributos de justiça e injustiça só se aplicam aos entes concretos capazes de atuar. Um ser humano pode atuar, uma empresa pode atuar, um grupo político pode atuar, mas “a sociedade”, como um todo, não pode.

Sobre a obstinação na crença

Por C. S. Lewis

Ao tirar um espinho do dedo de uma criança (machucando mais), ou ao ajudar um alpinista novato (elevando-o mais), um obstáculo será a desconfiança deles. Estamos pedindo que confiem em nós em oposição aos próprios sentidos.

A história como espetáculo

Por Olavo de Carvalho

Os mortos estão para sempre excluídos do diálogo, são os excluídos por excelência. Eles têm olhos mas não veem, têm ouvidos mas não ouvem. Nós os espiamos pelo buraco da fechadura que denominamos por "História".

Conceito de verdadeira arte

Por Revista Catolicismo

Platão definiu o belo na acepção objetiva como “o esplendor da verdade”. Santo Agostinho o conceituou como “o esplendor da ordem”. E na filosofia escolástica encontra-se um conceito de belo que visa abarcar todos os aspectos da temática.

A infinitude

Por Mortimer J. Adler

Segundo Aristóteles, pode haver unidades de matérias muito pequenas, mas, por menores que sejam, podem ser divididas em partículas ainda menores, desde que cada uma seja uma unidade de matéria – uma e continua.

O colecionador de minutos

Por Paulo Bomfim

Em 2006, o âncora do Diário da Manhã, Salomão Schvartzman, desistiu de entrevistar seu amigo Paulo Bomfim; anunciou a nova edição do livro "O colecionador de Minutos”, recitando com o autor alguns dos pensamentos da obra.

A vida cristã é um empreendimento mercenário?

Por C. S. Lewis

Dinheiro não é a recompensa do amor; por isso chamamos de mercenário o homem que casa por interesse financeiro. O casamento é a recompensa natural do indivíduo que ama, e essa pessoa não é mercenária por desejá-lo.

Caduceu: expressão plástica da dialética e lógica

Por Olavo de Carvalho

A síntese de dialética e lógica encontrava uma expressão plástica no caduceu, onde duas serpentes entrelaçadas mostravam os movimentos dialéticos da mente, que se afastavam e aproximavam da reta verdade, representada pelo bastão central.

O Santo Sudário de Turim

Por Benoît Y. M. Bemelmans

Apresentaremos a nossos leitores uma rápida visão histórica do acontecido com a insigne relíquia ao longo dos séculos, e em seguida um apanhado geral de algumas das pesquisas científicas. Ressaltando os estudos feitos pelo Dr. Barbet.

A definição do mal

Por Louis Lavelle

Notavelmente jamais podemos definir o mal de maneira positiva. Ele não apenas ingressa num par de que o bem é o outro termo, como é impossível classificá-lo sem evocar o bem de que ele é, precisamente, sua privação.

Sobre o perdão

Por Olavo de Carvalho

Quando alguém lhe pede perdão — supondo-se que o faça com sinceridade –, eleva você à posição de um governante ou sacerdote. Portanto, lhe confere uma honra, que dar-lhe o perdão se torna um ato de gratidão.

Agora você pode interagir conosco e com outros leitores.


Basta deixar seu comentário no término de cada artigo!