Mentiras sinceras me interessam


A loucura, em um sentido sério e importante, é a permanência não crítica de seu próprio projeto.”, Gabriel Liiceanu: Filósofo romeno.

Eu sinceramente gostaria de saber, mas confesso que não sei. Eu não sei o que se passa na cabeça dos nossos amigos ambientalistas. Se alguém souber, por favor, enviar mensagem para. Agradecido.

Segundo os ilustres filhos de Geppetto, o homem (branco, heterossexual, católico e, de preferência, norte-americano) é responsável direto por um fenômeno tremendo chamado aquecimento global. Todo mundo já ouviu falar dele. As pessoas sentem hoje os calores que os mais lúgubres dos futurólogos preveem para daqui a cinqüenta anos.

Tal aquecimento, por sua vez, é efeito da degradação ilimitada e irresponsável que nós, homens, nós, capitalistas, nós, ocidentais, nós todos, enfim, que não somos ambientalistas e não dirigimos ONG’s nem captamos recursos públicos e privados provocamos irremediavelmente à natureza. De maneira geral, o coro é bastante pessimista: o fenômeno é irreversível; resta-nos não acelerar as coisas. O mundo caminha, a passos largos, para o fim.

O mais animados com a desgraça – como não poderia deixar de ser – têm a solução: controle drástico no consumo de energia. Mais: controle drástico no consumo, seja qual for. E concluem, com o inevitável corolário: a melhor maneira de se consumir menos é que menos pessoas consumam. Portanto, o controle do consumo passa, inexoravelmente, pelo controle demográfico: aborto (incluindo a modalidade pós nascimento e a eufemística antecipação terapêutica do parto, para os nascituros pouco aptos, seja lá o que isso signifique); controle compulsório de natalidade (união homo afetiva como um dos métodos de eficácia comprovada, nesta que é uma das causas mais caras à nova ordem global: a dissolução da ideia tradicional de família); incentivos entusiasmados à eutanásia; um tal de direito ao suicídio e outras amenidades. A utopia, como sempre, nobilíssima: é preciso preservar a natureza para as gerações futuras.

É preciso preservar a natureza para as gerações futuras que, naturalmente, não virão. É preciso preservar os recursos naturais para aquelas centenas de milhares de crianças abortadas anualmente no mundo todo. E é preciso guardar recursos ilimitados para os outros milhões de crianças que generosamente deixarão de nascer para que seus pobres pais possam planejar uma viagem a mais para um “paraíso sexual-democrata” qualquer, tudo isso sem, é claro, o estorvo dos avós cujas máquinas serão desligadas prontamente, tão logo comecem os primeiros espirros.

Exagero? Não, não exagero. Le U. Knight, um dos fundadores do amistoso Movimento da Extinção Humana Voluntária (VHEMT), conscienciosamente prega o homeopático desaparecimento da raça humana, para o bem do planeta e das capivaras. Acho muito bem. Eu começaria pelo dito cujo.

Eu começaria pelo dito cujo que não percebe a enormidade do que diz: o planeta seria melhor sem nós. Capivaras que me perdoem a sinceridade, mas a capacidade de se estabelecer juízos de valor, de sequer considerar se a natureza deve ser preservada ou não é uma capacidade especificamente humana. Sem a nossa maldita raça, a idéia mesma de que algo seja bom ou ruim para a natureza não faz rigorosamente sentido algum.

Nada mais razoável que os recursos naturais sejam explorados com prudência e responsabilidade, estou de acordo. Mas, alto lá: precisamente porque há humanos aqui. Para o bem e, vai-se fazer o quê, para o mal.

Escrito por Gustavo Nogy.
Publicado originalmente no website Mídia Sem Máscara, em 19 de junho de 2012.

Em complemento, assista ao documentário “A Grande Farsa do Aquecimento Global”:

Leia também os artigos:

avatar
640
2 Quantidade de comentários
1 Quantidade de respostas aos comentários
3 Seguidores
 
Comentário mais polêmico
Comentário em destaque
3 Quantidade de comentadores
Moro CarecaDiretor do ZoológicoRino do Zoo Quantidade de comentadores recentes
mais recentes   mais antigos
Rino do Zoo
Visitante
Rino do Zoo

Sou um rinoceronte de zoológico. Alguém sabe como ficará minha situação?

Diretor do Zoológico
Visitante
Diretor do Zoológico

Calma, calma, calma! Darwin já disse. Os rinocerontes chegarão lá.

Moro Careca
Visitante
Moro Careca

Obrigado por compartilhar
É muito importante que existam blogs como o seu, vou adicionar nos favoritos

Recentemente (20 de junho de 2019) a Igreja Católica comemorou a festa litúrgica de Corpus Christi (expressão latina que significa Corpo de Cristo). Além da fé, há provas (inclusive cientificas) que sustentam tais adorações? Para responder precisamente, leia os artigos: