O Sistema Nacional de Ensino é um FIASCO


Qual o caráter necessário ao Brasileiro, para que o PROJETO BRASIL seja bem-sucedido?[1]

A que ponto chegou? Quase todo conteúdo da imaginação do Brasileiro foi, de alguma forma, direta ou indiretamente inoculado pela propaganda[2]. Isso é bom, ou é mais um componente do emburrecimento geral da Nação?

Veja bem, quase todos os alunos Brasileiros concluem o Ensino Médio[3] sem saber tabuada[4], nem a Gramática da Língua Pátria que nos une. E quando sabem ler, não entendem o que leem. Inadmissível! Afirmou Napoleão Mendes de Almeida“A língua é a mais viva expressão da nacionalidade. Como havemos de querer que respeitem a nossa nacionalidade se somos os primeiros a descuidar daquilo que a exprime? Nenhum país culto existe sem que o vernáculo não seja ensinado diariamente. E quem sabe Gramática sabe analisar”. Seria deliberado? E complementou o Filósofo Olavo de Carvalho: “A língua permite que o legado cultural das gerações passadas continue sendo acessível e transmissível às novas gerações”.

Quebrando a língua, e por consequência a linguagem, dissolve-se a NAÇÃO[5]. Poderia ser pior? Para ler e entender a literatura chinesa básica é preciso memorizar e entender pelo menos mil ideogramas[6]. Imagine esse pré-requisito no Brasil!

O Filósofo Leibniz sustentou que o homem com mais figurinhas[7] memorizadas, ainda que totalmente ficcionais, será, no fim das contas, mais inteligente[8]. Decerto que a qualidade da inteligência do indivíduo depende da qualidade dessas figurinhas processadas pelo cérebro para formar seu imaginário[9], imaginar e formar sua imaginação moral. Sem entrar em pormenores, e contrariando ligeiramente as concepções do Edmund Burke, T. S. Eliot e Russell Kirk[10], a imaginação moral[11] pode ser elevada (ordenada, inclinada para o bem), baixa (ordenada, inclinada para o mal), idílica[12] ou diabólica[13]. É óbvio que o caráter depende da formação da personalidade, que é função da imaginação moral, que, por sua vez, é função do imaginário. E o imaginário (comum) determina o senso comum, a opinião pública.

Logo, tem-se o imaginário individual e coletivo, e quando a identidade está dissolvida em um grupo de referência, o imaginário do membro fica restrito ao imaginário do seu grupo (do seu partido, da universidade, por exemplo). Notadamente, o imaginário do Brasileiro está degradado, fragmentado e corrompido, desordenando sua alma. Se a ordem da alma está decadente não há ordem exterior (T. S. Eliot). Notadamente, o agente-mor da corrupção do imaginário do Brasileiro por décadas a fio é a mídia[14], em particular a Rede Blobo: 24h por dia, 7 vezes por semana. Assim, a ordem moral do Brasileiro deteriorou-se e está desordenada no miserável. A alma do Brasileiro está doente? Tem cura?[15]

Daí propostas para Educação/Reeducação do Imaginário através da leitura e estudo dos Clássicos. O empreendimento de Reeducar o imaginário de presidiários está sendo testado na Execução Penal na Vara Criminal de Joaçaba-SC, em especial no Presídio Regional[16]. Doze Clássicos depois, os resultados são animadores[17]. Os Clássicos geraram as ideias que eventualmente levaram à erradicação de práticas moralmente falidas.

Seguramente, educar o imaginário é muito mais barato para o Contribuinte do que reeducar o imaginário[18]. Sem expurgar os comunistas/socialistas[19] do MEC e do nosso sistema de Educação como um todo, será na prática impossível. E tomar alguma medida contra os formadores de imaginário da mídia ajudaria muito. O ideal seria o aluno concluir o ensino Médio com uma cultura literária admirável. Assim não teríamos mestres, doutores e PhDs incultos.

É estritamente necessário retirar dos currículos tudo que é inútil, e reciclar nossos professores, nossa pedagogia e anular, extinguir, urgente e sumariamente, o método de imbecilização e emburrecimento socioconstrutivista de alfabetização, sutilmente imposto pela UNESCO[20] desde a década de 1980. Chega de os professores fazerem de conta que ensinam, e de os alunos fazerem de conta que aprendem.

E a sagrada Liberdade de Expressão? Notadamente, virou liberdade de fazer apologia ao crime, ao ódio, ao vulgar, ao depravado e liberdade de desrespeitar. Está certo isso?

Para o ensino Fundamental/Médio como está, para recuperar nossos cérebros[21], o maior ativo de uma nação, não consigo abarcar outro remédio a curto-médio prazo que não seja militarizar a disciplina das Escolas Públicas Fundamentais e de Ensino Médio (As privadas correrão atrás!). Em geral, as Escolas Militares são casos notórios de sucesso. E a última chance de enquadrar o sujeito é realmente o serviço militar obrigatório.

No mais, sem disciplina não há ordem, e sem ordem não há progresso. E a disciplina motiva e incentiva a autoeducação.

 

Notas:

  1. Antes é preciso esclarecer. Não se trata de doutrinação nas escolas e universidades. Doutrina é diferente de ideologia. Para doutrinar, a doutrina passa pela avaliação da inteligência, o que não é permitido na imposição de uma ideologia. Trata-se de técnicas de controle mental (manipulação de massas) visando o automatismo mental disparado por gatilhos emocionais – palavras de ordem. Utiliza-se de terrorismo psicológico, inclusive. Retornar

  2. Técnicas de Propaganda são baseadas em Hipnose. As propagandas invadiram filmes, “inocentes” desenhos (animações) infantis, jornalismo de opinião, sensacionalista e espetacularizações de tragédias; games, literatura; em tudo que é criado para conquistar mentes e corações. É preciso dizer que Hipnose é o fundamento das técnicas de CONTROLE mental? Retornar

  3. O Filósofo Olavo de Carvalho demonstra a quem possa interessar que 80% dos acadêmicos Brasileiros possui grau relevante de analfabetismo funcional. Certamente essa deficiência é carregada desde a imbecilização (segundo o método socioconstrutivista de alfabetização) no Ensino Fundamental, e amplificada no ensino médio e endossada no Ensino Superior.
    http://sensoincomum.org/2017/04/19/analfabetismo-funcional-universitarios-brasileiros/ Retornar

  4. Para não dizer conta de dividir, subtrair, noções de proporção, geometria elementar, etc. Retornar

  5. É o que tem sido feito com sucessivas reformas ortográficas em menos de uma geração. E quem controla a linguagem controla quase tudo, até os sentimentos em geral. Retornar

  6. https://www.ted.com/talks/shaolan_learn_to_read_chinese_with_ease/transcript?language=pt-br Retornar

  7. Poderia dizer imagens, símbolos, conexões neurais, a depender do contexto. Estas figurinhas são formatas por estímulos através da experiência sensível. Daí a necessidade dos estímulos certos desde a tenra infância. Retornar

  8. Entenderam por que quase sempre os asiáticos estão a ocupar os primeiros lugares? Retornar

  9. Conjunto do imaginável. Retornar

  10. https://leitorconservador.wordpress.com/tag/imaginacao-idilica/ Retornar

  11. A bem da verdade todos temos imaginação moral elevada, baixa, idílica ou diabólica em certa medida. Predominando a imaginação moral elevada tem-se indivíduo virtuoso e altruísta. Retornar

  12. Conforme Jean-Jacques Rousseau, utópica, egoísta, materialista, e hedonista, acreditando que é possível escapar das obrigações morais e sociais, com cada indivíduo criando suas próprias verdades. Retornar

  13. Conforme T. S. Eliot, em que o indivíduo, desejando se livrar da sensação/impressão de vazio interior, apela para vícios como drogas, bebida, luxúria, violência, crueldade, apatia, etc. Retornar

  14. Desde o séc. XX, mídia e imprensa nacional se fundiram e se confundem. Retornar

  15. A Imaginação Educada (Northrop Frye)

    Caso não tivesse cura, essa discussão seria irrelevante. Todo homem está equipado com a máquina mais complexa e sofisticada criada pelo Universo, o cérebro humano, dotado de neuroplastia, grosso modo, capacidade de se moldar e adaptar desde que corretamente estimulado, a menos em casos de elevado grau de demência mental, psicopatia ou sociopatia. Retornar

  16. http://midiasemmascara.org/arquivos/reeducacao-do-imaginario-primeiras-impressoes-e-resultados/ Retornar

  17. http://midiasemmascara.org/artigos/economia/reeducacao-do-imaginario-12-classicos-depois/ Retornar

  18. A Imaginação Educada (Northrop Frye)
    http://videeditorial.com.br/a-imaginacao-educada Retornar

  19. A partir de certo ponto, comunistas, socialistas e progressistas são sinônimos. Retornar

  20. Maquiavel Pedagogo ou o Ministério da Reforma Psicológica (Pascal, Bernardin)
    https://www.saraiva.com.br/maquiavel-pedagogo-ou-o-ministerio-da-reforma-psicologica-4689777.html Retornar

  21. E como o Brasil tem menosprezado e perdido seus cérebros! Retornar

Prof. Ed Garcia
#SemprePeloBrasil
EdGaarcia@gmail.com
@Edgaarcia

Em adendo, assista ao vídeo no qual o filósofo Olavo de Carvalho comenta sobre os processos manipulatórios utilizados na educação:

Leia também os artigos:

Leia e ouça as transcrições:

Deixe um Comentário!

avatar
640
Classificar por:   mais recentes  |  mais antigos
Juan Koffler
Visitante

A questão é razoavelmente simples de responder: nosso povo não possui o hábito da leitura e esta é fundamental para o aculturamento e ampliação da visão de mundo e de vida. Também é crucial para o aperfeiçoamento da escrita. Assim, se o povo não lê, não saberá escrever (e nem apreciará esta arte-ciência).
Quanto à educação formal, qualquer tentativa de otimizá-la entra em choque com a bizarra estratégia político-governamental de manter uma sociedade alienada, inculta, sitiada em sua própria ignorância e, portanto, facilmente manipulável. Eis a “receita mágica” dos nossos “(des)governantes”.

wpDiscuz