Viver a palavra 2018

Na primeira postagem de 2018 não publicamos apenas um excerto de livro, ou adicionamos um “artigo perecível”. Fizemos mais! Na verdade, repassamos um brinde do qual nós da Equipe da Culturateca somos agraciados diariamente! Leia mais...

O verdadeiro, o bom e o belo

Aquele que pergunta “por que acreditar no que é verdadeiro” ou “por que desejar o que é bom”, foi incapaz de compreender a natureza do raciocínio. Justificamos crenças e desejos ancorando nossa razão no verdadeiro e no bom. Leia mais...

Decolando na liberdade; aterrissando na escravidão

Comumente vemos pessoas que “embarcam” nos conceitos do “Estado laico”, ou até mesmo nos avanços tecnológicos (normalmente essenciais e admiráveis), crentes de que eles terão como destino uma maior liberdade - nada mais absurdo! Leia mais...

Não tenho fé suficiente para ser ateu

Afirmar que o cristianismo persiste por dois mil anos, alicerçado exclusivamente na coluna da fé, é na melhor das hipóteses ignorância; na pior, desonestidade intelectual. E, infelizmente desconhecimento e improbidade estão em voga na desconstrução do cristianismo. Leia mais...

Por que estudar?

A educação não serve para dar instrumento para que o indivíduo faça alguma coisa; serve para que o indivíduo seja alguma coisa. Fornece personalidade, consciência, capacidade de fazer escolhas, posiciona a pessoa no mundo, etc.”, José Monir Nasser (1957 - 2013). Leia mais...

Deus existe? Nada prova; tudo evidencia!

Para evidenciar a existência de Deus, este artigo faz um amálgama entre o infinito, o “nada absoluto”, o Big Bang e a primeira das cinco vias de São Tómas de Aquino. Tudo sempre alicerçado em obras consagradas, incluindo a Bíblia. Leia mais...

Como explicar o mundo sem ter muito trabalho

Existem inúmeros exemplos de “ciência do absurdo” sendo feitos mundo afora, talvez sendo levados a sério demais – até mesmo em áreas do conhecimento, como biologia, genética, química e mesmo na matemática. Leia mais...

O Sistema Nacional de Ensino é um FIASCO

Olavo de Carvalho observou: “A língua permite que o legado cultural das gerações passadas continue sendo acessível e transmissível às novas gerações”. E, quase todos os alunos brasileiros concluem o ensino médio sem saber gramática. Leia mais...

Excertos de livros

Neste link você encontrará excertos de obras clássicas, escritas por autores como: G. K. Chesterton, Lee Strobel, C. S. Lewis, Mortimer J. Adler, Santo Agostinho, Viktor Frankl e René Girard. Um grande incentivo para boas leituras! Leia mais...

Eu, o Lápis!

Certa vez, quando me pus a contemplar o miraculoso processo de criação de um lápis, tive aquele lampejo: Aposto que não há uma só pessoa na terra que saiba como fazer uma coisa tão simples como um lápis. Leia mais...

 

República do Brasil: Maculada por mentiras!

Por Bruno Garschagen

Não compreendo a celebração da mentira que se convencionou chamar de “proclamação da república”. Porque a república presidencialista no Brasil foi imposta em 15 de novembro de 1889 com um golpe militar.

Professores não, doutrinadores

Por Marcus Vinivius Motta

A educação no Brasil passou de mal a pior no momento que transmissores de conteúdo começaram a se achar “educadores”. Eles acreditam mesmo que a função deles é formar caráter, quase salvando a criança da própria família.

Técnicas de manipulação psicológica

Por Pascal Bernardin

As téc­ni­cas de ma­ni­pu­la­ção psi­co­ló­gi­ca tor­na­ram-se ob­je­to, já há mui­tas dé­ca­das, de apro­fun­da­dos tra­ba­lhos re­a­li­za­dos por psi­có­lo­gos e psi­có­lo­gos so­ci­ais. Neste link são analisadas as técnicas: “pé na porta”, “porta na cara” e de dissonância cognitiva.

A matemática da impossibilidade

Por Joe Coffey

David Foster escreveu: “O DNA do bacteriófago t4 tem uma improbabilidade de 10 elevado à 78000ª potência. Em um Universo com idade de apenas 10 elevado à 18ª potência de segundos”. A vida não evoluiu por acaso!

O desmoronamento da família

Por Murillo Galliez

As autoridades civis dos diversos países foram introduzindo modificações na legislação, de modo a adaptá-la aos hábitos e costumes contrários aos mandamentos da Lei de Deus. Resultado: estamos vivenciando a legalização da imoralidade!

As origens do politicamente correto

Por William S. Lind

Politicamente correto é igual ao marxismo cultural. É marxismo “simplesmente” traduzido de termos econômicos para termos culturais. É um esforço que começa não nos anos 1960, com os hippies, mas na Primeira Guerra Mundial.

Por que estudar?

Por José Monir Nasser

A educação não serve para dar instrumento para que o indivíduo faça alguma coisa; serve para que o indivíduo seja alguma coisa. Fornece personalidade, consciência, capacidade de fazer escolhas, posiciona a pessoa no mundo, etc.

O que é uma suma?

Por Carlos Arthur Ribeiro do Nascimento.

A palavra “suma” pode ser aplicada a tipos diferentes de obras, visando caráter de antologia, compilação, enciclopédia ou resumo. O tipo comumente mais acabado é caracterizado por três aspectos, todos descritos nesta postagem.

Fiódor Dostoiévski por William Lane Craig

Por William Lane Craig

Algumas pessoas têm a impressão de que o grande escritor do século XIX, Fiódor Dostoiévski, era ateu. Na verdade, ele procurou fazer a defesa do teísmo em face do problema do mal, problema que torturou Dostoiévski!

Nação de adolescentes

Por Frederico De Paola

Poucos brasileiros chegam a idade adulta, intelectualmente falando. Permanecem extasiados na teenage, onde tudo é possível. Com isso temos muito poucos adultos no Brasil e, os que alcançam a maioridade não são nem sequer ouvidos.

O Sistema Nacional de Ensino é um FIASCO

Por

Olavo de Carvalho observou: “A língua permite que o legado cultural das gerações passadas continue sendo acessível e transmissível às novas gerações”. E, quase todos os alunos brasileiros concluem o ensino médio sem saber gramática.

Qual é a natureza da liberdade humana?

Por Battista Mondin

Não há liberdade sem razão, como não há liberdade sem vontade. A vontade é apetite racional, isto é, um apetite guiado pela razão. Se não houver orientação da razão, não há liberdade e nem vontade, mas simplesmente instinto.